Tag: Vida plena

Você está onde deveria estar

Você está onde deveria estar

Nos dias de hoje todos vivemos correndo. Parecemos formigas indo e vindo do formigueiro, saindo para coletar o sustento, voltando para guardá-lo em local seguro. Não há tempo a perder, e qualquer obstáculo no caminho nos desestrutura a ponto de quase não sabermos mais onde estamos, de onde viemos e para onde vamos. Interações, só as bem rápidas, de forma que não nos distraiam do nosso objetivo. Fazer, fazer, fazer. E rápido.

Para quê mesmo?

Esse estado acelerado nunca foi o mais confortável para mim. Pelo contrário, chego a ficar sem ar só de conviver com pessoas muito aceleradas, e meu corpo logo denuncia quando eu mesma sigo um ritmo que não condiz com minha lentidão habitual. Dores no pescoço, respiração descompassada, tremores.

Dia desses me percebi correndo mais uma vez contra o relógio. Tinha um compromisso de trabalho dali a poucos minutos e estava a anos-luz de estar com tudo pronto até mesmo para sair de casa. A sequência não deve ter sido muito diferente daquela observada diariamente em diversas casas mundo afora: (mais…)

Você precisa de férias?

ferias

Houve um tempo em que eu contava os dias para as férias.

Passava meus dias de trabalho desejando aquele período em que eu poderia acordar sem despertador, comer com tranquilidade, assistir aos filmes que eu quisesse, ler livros não técnicos e dormir sem culpa caso sentisse sono durante a leitura.

Me jogar no sofá e brincar com minhas gatas, ouvir música prestando atenção na letra, planejar uma viagem ~ e viajar! Me perder na internet e nas redes sociais, lendo coisas interessantes e outras nem tanto, conversar com amigos pelo bate-papo, encontrar amigos em cafés, restaurantes, baladinhas.

Minhas férias eram uma preciosidade. Mais ou menos como a cenoura na ponta da vara presa à cabeça do cavalo de corrida dos desenhos animados. Acho triste. (mais…)

Sobre tempo, morte e vida

“Podes me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valorize o seu dia, entenda que se morre diariamente? Nisso, pois, falhamos: pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado. Qualquer tempo que já passou pertence à morte.

Então, caro Lucílio, procura fazer aquilo que me escreves: aproveita todas as horas; serás menos dependente do amanhã se te lançares ao presente. Enquanto adiamos, a vida se vai. (mais…)

Não apresse o rio: ele corre sozinho

Você é do tipo de pessoa que “faz a hora” ou que “espera acontecer”?

Eu era totalmente uma pessoa que faz a hora. Queria estar sempre no controle de tudo que acontecia ~ e aconteceria ~ na minha vida. Muitos planos, bem detalhados que era pra nada dar errado. Já falei sobre isso aqui. Poucos riscos ~ só os calculados ~, muitas regras. A flexibilidade de um cabo de vassoura. O bom disso? Me tornei uma boa previsora de comportamentos e uma pessoa com excelentes habilidades para realmente fazer acontecer muito do que eu queria ou do que me pediam ajuda para acontecer.

Funcionou por muito tempo, afinal se manteve por muitos anos em meu repertório.

Acontece que em determinado momento da minha vida aquele controle todo foi parando de funcionar. (mais…)

A menina dança

Lembranças de um tempo em que a simplicidade do viver tomava conta. Espontânea no olhar, nas brincadeiras, no dançar em qualquer lugar, ao som da música que tocasse em sua imaginação naquele momento. Relações tranquilas, transbordantes de amor e alegria. Desapego [ou a santa ignorância] a normas de estilo, adequação social, certo ou errado. Simplesmente é. Naturalmente é.

Sorri sem se preocupar com o que vão pensar sobre seu rosto, seus dentes, seu nariz. A crítica ainda não chegou. Ingênua, livre, feliz.

Quisera essa ingenuidade e essa abertura para a vida nunca tivessem passado. Seria muito mais fácil hoje manter a paz interior, ser luz, projetar luz. (mais…)

Você tem tido tempo para viver?

Eu faço grandes críticas ao volume excessivo de trabalho ao qual somos submetidos atualmente. A maior parte das ocupações exige dedicação de no mínimo 40 horas semanais, e tecnologias como internet de amplo acesso e smartphone sempre na mão ampliam ainda mais o alcance do trabalho sobre nossas vidas. É possível trabalhar o tempo todo se não impusermos alguns limites.

Eu amo meu trabalho. Mas eu não sou só uma trabalhadora.

Todas as vezes que permiti que o trabalho ocupasse tempo demais acabei por sentir que me faltava vida. Para mim não havia nada pior que chegar do trabalho, comer, tomar banho e dormir, pois eu sabia que no dia seguinte ia começar a trabalhar logo cedo de novo e sentia que todo o meu tempo estava sendo entregue ao meu empregador. Pensar que milhares de pessoas passam por isso todos os dias me corta o coração e me faz entender um pouco mais porque tantos se envolvem com substâncias psicoativas e comportamentos compulsivos. É a esquiva de uma vida limitada. (mais…)

Em caso de pane, máscaras irão cair

Estando você e outra pessoa em risco, de quem você deve cuidar primeiro?

A situação é delicada, e se torna ainda mais difícil se a outra pessoa for ou se mostrar incapaz de cuidar de si mesma sozinha.

As orientações dadas em voos comerciais são bem claras: em caso de pane, máscaras irão cair. Coloque uma máscara em si mesmo e somente depois ajude as pessoas que estiverem a sua volta. Eu costumava achar essa orientação tão egoísta! Tendia a pensar que se a pessoa está minimamente bem, ela precisa sim, cuidar do outro. O outro seria mais importante.

Mas será mesmo? (mais…)

Escrever é respirar

Sempre tive um namoro com as palavras. De certa maneira escrevo desde que aprendi a juntar letras e transformá-las em significado, história, sentimento. Sou de uma feliz geração que ganhava diários de presente – e de fato os utilizava para registrar momentos e impressões, alegrias e angústias. Ainda faço diário e recomendo sempre que o assunto se faz pertinente.

Minha geração viu também o início dos blogs, que eram bem diferentes dos de hoje. Havia poesia, fantasia, rica troca entre autor e leitores, muita exposição pessoal, mas com um propósito que era outro, menos líquido. Não havia o termo “blogueiro”. A blogosfera era uma linda rede formada por pessoas que pouco a pouco se tornavam amigas!

Acho que estou nostálgica! :)

Eu penso que a escrita – seja num diário “analógico”, seja num blog – proporciona autoconhecimento, expansão, presença. Escrever é como respirar, ação composta de contenção e expansão, trazer para dentro, processar gerando vida e cura, e então soltar. (mais…)

Toda forma de amor

O amor sem palavras no sorriso banguela daquele que aprende pouco a pouco que quando você diz que vai voltar você volta mesmo.

O amor na doação do seu tempo, do seu dinheiro, do seu trabalho, do seu talento, da sua atenção, da sua intenção [tudo junto ou só um deles] a alguém que se vê privado do básico para se ter alguma paz interior.

O amor puro e fraterno dito décadas depois, mas ainda atual, emocionando a quem diz, quem ouve e quem fica sabendo da história.

O amor em pelos, olhos grandes, ronronar baixinho e aconchego, dado por nada, só porque você existe. (mais…)

Lembrete para os momentos de “não-consigo-mais”

Você é mais forte do que você imagina.

Você é mais forte do que imagina o seu opressor.

Você é mais forte do que sua dor. Seu cansaço. Sua desesperança. Suas intrigas mentais.

Você consegue ir mais um pouco além, e merece ir, desde você não confunda expansão com violência. (mais…)