Tag: auto amor

Nada muito diferente do que deseja qualquer ser humano

Mais uma vez você se vê fora dos acontecimentos. As pessoas reúnem as mais íntimas e você não está entre elas. Não há constrangimento, mas é possível sentir o silêncio do não dito. Você se sente um pária, de novo. Sem turma, sem ter com quem contar, embora racionalmente saiba que isso não procede. Memórias dolorosas da infância giram em sua cabeça, massacrantes. Todas as vezes em que se sentiu só, excluída ou menos importante. Todas as vezes em que precisou agir por si mesma por perceber que seus interesses eram somente seus, e não das pessoas a quem você julgava amigas. Você se pergunta [mil vezes] o que há de errado consigo, se isso está mesmo acontecendo ou se você está exagerando. Não quer se sentir uma vítima, sabe como isso te faz mal. Tanta criar explicações que façam com que a situação não pareça tão feia e indelicada. Forja uma aceitação, repetindo para si mesma que as pessoas têm o direito de convidar quem quiserem para lhes fazerem companhia. Mas para cada repetição, sua criança interior pergunta, chorando: por que não me quiseram? O que há de errado comigo?

A experiência da rejeição pode ser devastadora. (mais…)

Em caso de pane, máscaras irão cair

Estando você e outra pessoa em risco, de quem você deve cuidar primeiro?

A situação é delicada, e se torna ainda mais difícil se a outra pessoa for ou se mostrar incapaz de cuidar de si mesma sozinha.

As orientações dadas em voos comerciais são bem claras: em caso de pane, máscaras irão cair. Coloque uma máscara em si mesmo e somente depois ajude as pessoas que estiverem a sua volta. Eu costumava achar essa orientação tão egoísta! Tendia a pensar que se a pessoa está minimamente bem, ela precisa sim, cuidar do outro. O outro seria mais importante.

Mas será mesmo? (mais…)

Escrever é respirar

Sempre tive um namoro com as palavras. De certa maneira escrevo desde que aprendi a juntar letras e transformá-las em significado, história, sentimento. Sou de uma feliz geração que ganhava diários de presente – e de fato os utilizava para registrar momentos e impressões, alegrias e angústias. Ainda faço diário e recomendo sempre que o assunto se faz pertinente.

Minha geração viu também o início dos blogs, que eram bem diferentes dos de hoje. Havia poesia, fantasia, rica troca entre autor e leitores, muita exposição pessoal, mas com um propósito que era outro, menos líquido. Não havia o termo “blogueiro”. A blogosfera era uma linda rede formada por pessoas que pouco a pouco se tornavam amigas!

Acho que estou nostálgica! :)

Eu penso que a escrita – seja num diário “analógico”, seja num blog – proporciona autoconhecimento, expansão, presença. Escrever é como respirar, ação composta de contenção e expansão, trazer para dentro, processar gerando vida e cura, e então soltar. (mais…)

Toda forma de amor

O amor sem palavras no sorriso banguela daquele que aprende pouco a pouco que quando você diz que vai voltar você volta mesmo.

O amor na doação do seu tempo, do seu dinheiro, do seu trabalho, do seu talento, da sua atenção, da sua intenção [tudo junto ou só um deles] a alguém que se vê privado do básico para se ter alguma paz interior.

O amor puro e fraterno dito décadas depois, mas ainda atual, emocionando a quem diz, quem ouve e quem fica sabendo da história.

O amor em pelos, olhos grandes, ronronar baixinho e aconchego, dado por nada, só porque você existe. (mais…)

Como se desenvolve o auto-amor?

O desenvolvimento do auto-amor é um processo interessante, que pode ser descrito mais ou menos como o processo de passar do caos à ordem, da negação à autoaceitação. Algumas condições são necessárias para que o auto-amor ocorra, e é sobre esse processo que quero falar neste post.

mandala (mais…)

É hora de encontrar o grande amor da sua vida

O amor é aquele sentimento que experimentamos quando vivenciamos uma relação significativa. Tendemos a buscar o amor em relações com outras pessoas, de modo a preencher um vazio e dar sentido às nossas vidas. Mas será que só podemos encontrar o amor, o sentido e a felicidade lá ~no outro~ como um pote de ouro no final do arco-íris?

light-sky-beach-sand (mais…)

Editorial de Agosto/2015

Agosto é mês de... amor!

É interessante que estar conectada a outra pessoa pelo amor sempre foi algo presente em minha vida, e muito importante. Minha frase de descrição em perfis de redes sociais sempre foi “Uma mulher apaixonada, sempre”. Mas os últimos anos me colocaram em situações em que fui praticamente obrigada a me descobrir e me reconhecer independente de qualquer amor – pelo menos de um amor por outra pessoa. (mais…)

Shake, shake, shake!

Mexa-se!

Descanso, combustível e movimento. Penso que a energia pode ser gerada a partir desse tripé. Se a cada dia nos dispusermos a descansar o suficiente, nos alimentarmos bem (e sem excessos) e nos movimentarmos um pouco, teremos disposição para encarar os desafios e desfrutar das delícias que nos são apresentadas.

Por muito tempo fui uma pessoa sedentária, que não fazia nenhum tipo de atividade física. Não por acaso, vivia cansada e com sono, sem forças para fazer nada além de abrir um pacote de biscoitos recheados e assistir à sessão da tarde na tv. O que eu percebia, em mim e em outras pessoas que fui conhecendo ao longo da vida, é que quanto mais parada eu ficava, mais parada eu queria estar. Você já sentiu isso? Por um tempo é bom, confortável, mas à medida que o tempo passa parece que estamos nos afundando numa areia movediça, que suga nossas forças e nos faz acreditar que não há alternativa senão sucumbir à inércia. (mais…)

Você é o que você come

alimento saudável pro corpo e para alma

“Você é o que você come”. Essa frase é dita e repetida incessantemente, mas poucas vezes paramos para pensar sobre ela, sobre nossa relação com os alimentos e sobre os efeitos para além do engorda-emagrece que a mídia tanto aponta.

Não sou especialista em alimentação – sou psicóloga! Mas sou curiosa, me observo muito e percebo as influências dos alimentos sobre meu corpo e sobre minha disposição. E como o tema deste mês é Energia, nada melhor que pensar em como os alimentos podem drenar ou gerar energia para nossas atividades cotidianas, não acha? Para isso vou contar um pouco de como tem sido minha relação com os alimentos, e gostaria que você compartilhasse nos comentários como é a sua relação com os alimentos e a energia que eles geram para a sua vida. (mais…)