Mexa-se!

Descanso, combustível e movimento. Penso que a energia pode ser gerada a partir desse tripé. Se a cada dia nos dispusermos a descansar o suficiente, nos alimentarmos bem (e sem excessos) e nos movimentarmos um pouco, teremos disposição para encarar os desafios e desfrutar das delícias que nos são apresentadas.

Por muito tempo fui uma pessoa sedentária, que não fazia nenhum tipo de atividade física. Não por acaso, vivia cansada e com sono, sem forças para fazer nada além de abrir um pacote de biscoitos recheados e assistir à sessão da tarde na tv. O que eu percebia, em mim e em outras pessoas que fui conhecendo ao longo da vida, é que quanto mais parada eu ficava, mais parada eu queria estar. Você já sentiu isso? Por um tempo é bom, confortável, mas à medida que o tempo passa parece que estamos nos afundando numa areia movediça, que suga nossas forças e nos faz acreditar que não há alternativa senão sucumbir à inércia.

E então a gente vê na tv aquelas pessoas de corpos esculturais, produto de horas de malhação intensa diariamente e sente… mais preguiça ainda, pois tudo aquilo é tão distante, tão impossível! :(

Uma coisa que nunca me disseram (e que estou te dizendo agora, então atenção) é que eu não precisava começar a praticar atividade física já fazendo musculação durante 2 horas por dia ou correndo, ou praticando qualquer outro esporte com maestria. Descobri, depois de muito tempo desanimada com o grande esforço que teria que fazer para cumprir uma agenda de atleta, que se eu começasse com uma caminhada de 15 minutos, 3 vezes na semana, tudo bem. Ou se ao andar do ponto de ônibus para a minha casa eu acelerasse meus passos um pouquinho só, tudo bem. Ou ainda, que se eu decidisse fazer uma atividade física diferente de musculação, tudo bem também.

O ponto era fazer um pouco a mais do que eu já fazia. E se o que eu fazia era zero, qualquer atividade já era alguma coisa, certo? Ou seja, assim como em vários aspectos da vida, também no que se refere à atividade física a gente deve começar de onde a gente está, dando pequenos passos e se exigindo um pouco mais quando aquela meta já foi cumprida e está bem estabelecida.

Perceber os pequenos efeitos da atividade física é algo que ajuda demais a continuar, e a energia (aleluia!!) é um dos primeiros. É incrível como, mesmo com alguma dor muscular, nos sentimos mais prontos para o dia, mais dispostos a nos cuidarmos melhor, mais prontos para uma boa noite de sono. É como se o movimento nos tirasse do lugar também simbolicamente, nos colocando numa onda de autocuidado e auto-amor. ~Sim, o auto-amor é um sentimento que me fascina, e tudo que gera auto-amor me interessa!~

Praticar uma atividade física me ajudou a ter uma relação diferente com meu corpo, a me conhecer melhor, a compreender meus limites e minhas possibilidades, a superar a depressão, a me abrir mais para me relacionar com outras pessoas. E me ajuda sempre a ter mais ânimo para criar e enfrentar o dia.

Então se eu posso te dar um conselho, esse conselho é: encontre uma atividade física pra chamar de sua! Mexa-se de alguma maneira, começando do que você consegue, do que se encaixa na sua vida, nas suas possibilidades financeiras e de tempo. Dance na sala de casa, suba escadas, vá à padaria a pé, desça do ônibus uma parada antes, levante-se para mudar o canal da tv, calce um sapato confortável e dê uma volta no quarteirão… E quando isso ficar fácil, desafie-se a ir além, informe-se, procure ajuda especializada, forme grupos (ou uma dupla) para praticar juntos, invente! Mas mexa-se! Sua energia depende disso! E aí, vai começar como?

Imagem: Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *