Você está vivendo um momento delicado em sua vida. Com maior ou menor sofrimento você já se perguntou algumas vezes se precisa recorrer à psicoterapia. Concluiu que sim, seria interessante ter o acompanhamento profissional atento e dedicado. Já levantou razões pelas quais não faria terapia e todas foram rebatidas com argumentos que você compreendeu, acolheu e aceitou. Mas você ainda não tomou a atitude de ligar ou escrever para o terapeuta.

Não pense que vou te julgar por isso. Pelo contrário, eu te entendo bem. A verdade é que psicoterapia dói. Muito. E você pode estar tentando se proteger da dor.

A dor de contar sobre sua vida e assim, ao olhar para os acontecimentos e como eles te afetam, constatar que não sabe como agir diferentemente.

A dor de revisitar sua história de decepção, abandono, tristeza, abusos das mais diversas formas e mexer em algo que tenta a todo custo guardar no fundo da caixa mais escondida de todas.

A dor de olhar para aquele futuro que havia desenhado e que acabou não se concretizando ou está longe demais de virar realidade.

A dor de perceber que está parado no mesmo lugar há algum tempo enquanto a vida passa numa velocidade cada vez maior.

A dor de assumir a responsabilidade pela mudança na maneira de encarar seus problemas e de agir sobre eles.

A dor de abrir mão da sua necessidade de controle das situações e então pedir ajuda.

Quero te dizer que eu acolho a sua dor. Eu compreendo que você queira evitá-la de qualquer maneira. Mas é meu dever te encorajar a enfrentá-la e buscar ajuda. Porque eu tenho certeza que nenhum processo terapêutico vai doer mais do que se manter em sofrimento por meses ou anos a fio.

A dor da terapia é a dor do esclarecimento, do enfrentamento, da mudança. É uma dor que tem significado, porque te leva para um lugar melhor, mais elevado, mais perto de quem você é de verdade.

E além de produzir mudança para melhor, a terapia é um processo (doloroso) pelo qual se passa tendo o suporte de um profissional muito bem preparado e que genuinamente quer o seu melhor. Alguém que vai buscar com você os melhores recursos para que a transformação seja efetiva e se torne uma bela história a ser contada depois.

Permita-se passar por essa experiência e não se arrependa pelo tempo em que a evitou.

E se você quer que eu te acompanhe nesse processo doloroso de transformação para ser quem você é, entre em contato para agendarmos a primeira sessão! Te aguardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *