Dias bons dão-lhe felicidade e dias ruins dão-lhe sabedoria. Ambos são essenciais.

A prática da gratidão gera diversos benefícios que independem se você tem uma crença em algum ser ou força superior ou não.  A prática de, a cada momento, agradecer pelo que se tem,  pelas vitórias alcançadas e problemas superados é relativamente simples. Se identificamos claramente alguém responsável pelo que conseguimos, educadamente lhe agradecemos, como fomos ensinados por nossos pais desde bem novinhos. “Como é mesmo que se fala pro moço?” “Bigado!” “Isso mesmo!”

Agradecer pelas adversidades

Mas agradecer torna-se cada vez mais difícil à medida que vamos crescendo, nos deparando com dificuldades maiores e tendo que lidar com elas sozinhos [ou quase]. A nota baixa na prova, a reprovação no vestibular, o fora da paquera, o vizinho briguento, a traição sofrida naquele relacionamento importante, a confiança quebrada por aquele amigo, o desemprego, a doença, a tragédia, a morte. :(

E por ser mais difícil, é nesses momentos em que a gratidão se faz mais necessária. Para curar feridas, restabelecer a dignidade, a esperança, para produzir sentido, para conectar valores, para reacender o presente e gerar mudança, mostrar novas rotas, novas possibilidades.

Neste último post da série sobre gratidão quero te propor uma prática, difícil, mas importante. Está disposta? Eu garanto que será bom ao final!

Feche seus olhos. Inspire profundamente, expire lentamente. Entre em contato com você mesma. Fique aí por uns instantes. Pense numa pessoa que te machucou no passado. Lembre-se do que ela te fez. Procure não se envolver com as emoções geradas pela lembrança; apenas observe. Pense agora nas mudanças ocorridas em sua vida a partir desse evento. Identifique o que você aprendeu. Identifique de que maneira você evoluiu a partir disso. Seja grata por esse aprendizado. Agora mentalmente visualize essa pessoa que te machucou e agradeça a ela pela oportunidade que te deu de aprender e evoluir. “Sou grata”. E porque você é grata, a perdoe. “Te perdoo”. Peça perdão por terem se conectado pela dor, mesmo que você não tenha sido responsável pela situação. “Me perdoe”. Despeça-se dela, deixando que a mágoa, o rancor e a dor se dissipem e se transformem em gratidão. Inspire profundamente. Expire lentamente. Gentilmente abra seus olhos.

Faça essa prática quantas vezes forem necessárias [por exemplo, diariamente], até que você sinta que a dor realmente se dissipou e que só tenha ficado o aprendizado. Conte nos comentários como foi fazer essa prática, os desafios e os benefícios. Se precisar de ajuda, estou aqui!

**Este é o mês da gratidão no Viva Com Sentido. Desde o dia 10 de setembro estamos unidos no movimento 21 Dias de Gratidão. A ideia é registrar diariamente ao menos um evento-coisa-pessoa-sentimento-situação [qualquer um] pelo qual você é grato. Estamos publicando nas redes sociais [Facebook e Instagram] com as hashtags #21diasdegratidão #vivacomsentido , e é muito contagiante acompanhar as pessoas observando suas próprias vidas e destacando o que há de bonito nelas. Acompanhe também, e se quiser postar não se esqueça das hashtags, assim todos podemos mergulhar na mesma onda de gratidão!

Imagem: Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *