Mais uma vez você se vê fora dos acontecimentos. As pessoas reúnem as mais íntimas e você não está entre elas. Não há constrangimento, mas é possível sentir o silêncio do não dito. Você se sente um pária, de novo. Sem turma, sem ter com quem contar, embora racionalmente saiba que isso não procede. Memórias dolorosas da infância giram em sua cabeça, massacrantes. Todas as vezes em que se sentiu só, excluída ou menos importante. Todas as vezes em que precisou agir por si mesma por perceber que seus interesses eram somente seus, e não das pessoas a quem você julgava amigas. Você se pergunta [mil vezes] o que há de errado consigo, se isso está mesmo acontecendo ou se você está exagerando. Não quer se sentir uma vítima, sabe como isso te faz mal. Tanta criar explicações que façam com que a situação não pareça tão feia e indelicada. Forja uma aceitação, repetindo para si mesma que as pessoas têm o direito de convidar quem quiserem para lhes fazerem companhia. Mas para cada repetição, sua criança interior pergunta, chorando: por que não me quiseram? O que há de errado comigo?

A experiência da rejeição pode ser devastadora.

Você quer ser amada. Quer se sentir à vontade para dar o enorme amor que tem em si, sem medo de não ser correspondida. Quer se sentir pertencente a um grupo. Quer ser você mesma entre outros. Nada muito diferente do que deseja qualquer outro ser humano.

Decide dedicar-se àqueles poucos que fazem questão de sua companhia, estreitar laços que são frouxos nem se sabe porquê, visto a clara afinidade entre as partes. Compreende que não estar entre as pessoas antigas não implica solidão, mas apenas outros grupos, mais seletos, intensos, de trocas mais profundas e interações mais fluidas. Vai olhar para outras direções, incluindo uma nova e muito especial: para dentro de si.

Sente-se então bem vinda a um mundo pleno de amor e sincero acolhimento.

Imagem: Pexels

2 comments on “Nada muito diferente do que deseja qualquer ser humano”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *