O amor é aquele sentimento que experimentamos quando vivenciamos uma relação significativa. Tendemos a buscar o amor em relações com outras pessoas, de modo a preencher um vazio e dar sentido às nossas vidas. Mas será que só podemos encontrar o amor, o sentido e a felicidade lá ~no outro~ como um pote de ouro no final do arco-íris?

light-sky-beach-sand

Relações significativas são aquelas que dão sentido às nossas vidas, aquelas que nos fazem sentir que estamos “no lugar certo, na hora certa”, perfeitamente encaixados na vida, alinhados com o que há de mais belo, profundo e universal.

Essas relações significativas podem ser relações afetivo-sexuais, mas não só, pois podem ser também aquelas que se estabelecem com familiares, amigos, animais, lugares, grupos. Pode ser que você não se lembre, por ter sido há muito tempo, ou pode ser que já tenha acabado, mas certamente já esteve em uma relação significativa, não é?

Passamos nossas vidas procurando objetos para nosso amor, pessoas para as quais possamos oferecer nossos esforços, nossos cuidados, nossos pensamentos, planos, orações, nosso tempo.

Tudo isso faz muito sentido, uma vez que somos seres sociais e nos colocamos no mundo principalmente a partir de como as outras pessoas nos ensinam, seja por modelo, por regras verbais, seja por conta do modo como nos tratam. Mas o que muitas vezes nos esquecemos é que, embora não haja um “outro”, a relação que se estabelece consigo mesmo é muito importante, e pode ser muito significativa e fonte do mais profundo amor.

Passei por um longo e dolorido processo até compreender que depositar no outro toda a responsabilidade pela minha própria felicidade era um tremendo engano! Desde cedo tenho sido muito eficiente em produzir para mim mesma aquilo que preciso, correndo atrás do que era importante em termos de carreira, bens materiais, experiências.

Mas confesso que a auto-estima, o conforto emocional e o sentimento de autossuficiência estiveram em baixa por muito tempo, e eu esperava adquiri-los por meio do relacionamento com outras pessoas. Assim, eu era uma mulher independente para as tarefas da vida, mas bastante dependente emocionalmente (e ainda por cima com um baita escudo para que ninguém percebesse essa “terrível falha”).

Você se identifica de alguma maneira com essa dinâmica?

Foi quando me vi sozinha e sem perspectivas de estar num relacionamento afetivo que me deparei claramente com a necessidade de ter um bom relacionamento comigo mesma. Afinal, eu era minha companhia mais constante! rs

Brincadeiras à parte, percebi que, se eu ficasse bem comigo mesma, grande parte daquele vazio que me assolava seria preenchido. Conhecendo bem a mim mesma e apreciando verdadeiramente cada aspecto de mim eu precisaria menos de outras pessoas, e as teria em minha vida porque me acrescentam, me enriquecem subjetivamente.

Descobri, portanto, que a relação mais significativa que eu precisava estabelecer seria comigo mesma. Que o amor mais bonito e mais profundo que eu deveria buscar seria o amor por mim mesma. E assim, plena de auto-amor, eu estaria pronta para amar em outras esferas.

* Eu realmente acredito que só quando nos amamos plenamente estamos prontos para amar outra pessoa de maneira saudável. Meu casamento, daqui a poucos dias, é o resultado disso! Estou tão feliz com tudo isso que quero espalhar felicidade {e amor} ao mundo inteiro!

** Preparei um ebook com inspirações e estratégias para o desenvolvimento do auto-amor, a partir da minha história e de minha experiência como psicoterapeuta. Esse ebook é disponibilizado gratuitamente somente para as pessoas que assinam minha newsletter. Então se você quer viver sem medo de ficar sozinha e finalmente encontrar o amor da sua vida {você mesma!} faça seu cadastro neste link. Ah! E se você conhece alguém que ainda está no começo do caminho do auto-amor, compartilhe essa informação. Fazer o bem a outra pessoa aumenta nossa estima por nós mesmas!

[ATUALIZAÇÃO] Neste mês de novembro/2017 vou oferecer a Oficina de Autoamor. Um encontro presencial em Belo Horizonte entre mulheres que decidiram amar a si mesmas. Haverá trocas, processos e vivências num ambiente muito especial numa deliciosa manhã de sábado! Para saber mais me escreva: vivian.marchezini@vivacomsentido.com.br Vou adorar te encontrar!

4 comments on “É hora de encontrar o grande amor da sua vida”

  1. Vivi,
    Fui ler seu último texto postado ontem e acabei encontrando esse texto “é hora de encontrar o grande amor de sua vida”. Identificação do início ao fim! Engraçado como esse texto é tudo o que eu precisava ler, no dia de hoje, e o universo se encarregou de me fazer encontrá-lo!

    Um beijo cheio de gratidão por cada palavra!

    Laís Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *