Agradecer é uma arte e um estilo de vida, e a fonte de felicidade e realização. É chamado de gratidão – uma atitude de gratidão. (Yogi Bhajan – 27/06/1984)

Dia 21 de setembro é o dia mundial da Gratidão, e resolvi dedicar todo o mês de setembro a ela, não somente porque é um tema muito interessante, alvo de muitas pesquisas na atualidade, mas também porque senti (e sinto), na minha vida, os benefícios da prática da gratidão. Quais são os efeitos da gratidão na sua vida?

Gratidão

Quando escrevo para o blog e preparo minhas postagens no facebook e instagram me passa sempre a preocupação de estar sendo simplista, alienada ou poliana demais… Escrever sobre felicidade, valores, energia, amor, num mundo onde acontece tanta crueldade, tanta desigualdade e sofrimento às vezes me parece cegueira demais.

Por outro lado, assistindo ao telejornal ontem [raramente assisto] fiquei de estômago embrulhado ao ver as notícias de tragédias que se seguiam, uma após a outra, quase sem espaço para que a apresentadora [e o telespectador] respirasse. Comentei sobre meu incômodo com minha mãe, que falou, muito pertinentemente: “Parece até que eles não têm outro assunto!

Sim, parece!! Como um disco furado, repetindo problema, problema, problema, sem sair do lugar, sem dar continuidade à vida, sem buscar soluções para o que existe e que é real. O mundo do telejornal é um mundo ruim. Ponto.

E então parei para pensar em como era minha vida quando meu olhar e meus relatos eram como os do telejornal: eu só via problemas, eu só fazia queixas [ainda que, muitas vezes, só para mim mesma]. O meu mundo era ruim, com pequenas alegrias em conta-gotas ~de vez em quando~. E a cada novo problema, novos pensamentos de “não vou conseguir”, “não vai dar certo”, “por que não tenho a vida como a de fulano de tal”, “para o mundo que eu quero descer”…

Há pouco mais de dois anos eu me via numa situação que para mim parecia o fracasso: meu rendimento caiu quase pela metade com a redução de carga horária na faculdade, o consultório estava em baixa, meu sócio resolveu desfazer a sociedade de repente, precisei montar um novo consultório, tendo despesas que não podia ter na ocasião, minha vida afetiva estava uma lástima. Até a yoga eu tinha interrompido. Ó vida, ó ceus, ó azar! Me sentia como a hiena do desenho animado da minha infância!

Então alguma coisa fez com que eu girasse a chave e aplicasse um novo olhar sobre a minha situação. Percebi que com menos trabalho eu tinha menos dinheiro sim, mas tinha agora algo precioso: tempo! Tempo para estudar para um concurso que me interessasse, para ler aquela porção de livros que entupia minha estante, visitar os blogs que me interessavam, assistir a milhares de palestras no TED… Tempo para meditar, para fazer minha próprio comida, cuidar pessoalmente da minha casa. Tempo para pensar melhor num negócio que tivesse a minha cara, e não a de outra pessoa.

E me senti muito grata pela redução da carga horária, pela mudança de consultório, pela saída do sócio, pelo corte de despesas que precisei fazer, pela oportunidade de me conhecer e me aprimorar para receber um amor que me valorizasse como eu merecia. A gratidão pelo que eu ~já tinha~ me ajudou a estar em paz comigo mesma e com as pessoas à minha volta. Me ajudou a me abrir para outros olhares, outras leituras, outras pessoas. Me reaproximei de pessoas muito queridas, de quem havia me afastado por conta de falta de tempo ou por ter um estilo de vida que havia me tornado muito diferente de quem eu sou de verdade.

A gratidão me curou e me abriu para uma vida muito melhor, mais abundante daquilo que era importante para mim. Me trouxe para mais perto de mim mesma. E como somos todos um, me trouxe para mais perto do outro também.

Embora o resultado seja maravilhoso, não foi num passe de mágica! A gratidão é uma disposição, uma postura diante da vida, e requer prática. Uma das coisas que me ajudou a praticar foi o meu ~caderno da gratidão~. Todas as noites, antes de dormir, eu escrevia cinco coisas pelas quais eu era grata naquele dia que se encerrava. Parar para relembrar seu dia e dar um novo olhar aos acontecimentos, vendo-os em perspectiva, é uma excelente forma de tornar-se grato.

É um desafio, visto que não temos esse costume. Nossa prática é a da queixa, a do pedido, a de enxergar os problemas e pedir ao outro [pai, mãe, marido, chefe, governo, deus] que nos dê a solução. Mas muitas vezes a solução já está aí, e nosso olhar embaçado não enxerga.

Tente limpar seu olhar e responda para si mesmo e aqui nos comentários: pelo que você é grato hoje? Se quiser ampliar sua prática, entre para o Movimento 21 Dias de Gratidão! Durante 21 dias estamos postando no instagram [@vivimarchezini] e/ou no facebook, diariamente, uma coisa pela qual somos gratos. Começamos dia 10/09, mas você pode começar hoje mesmo! Para que possamos nos conectar com essa vibe boa de gratidão, as postagens devem ter as hashtags  #vivacomsentido e #21diasdegratidão.

Dá uma olhada lá! Meu coração se aquece quando vejo as postagens e tantos momentos lindos sendo celebrados com gratidão! <3

Imagem: Vivi Marchezini. Esculturas de pedra que encontrei no pico da montanha nevada que subi durante a trilha de Salkantay, em Janeiro/2015. Quanta gratidão num dia só!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *