dormência

Eu acredito que é possível aprender sobre si mesmo todos os dias, nas mais diversas situações. Basta estar atento a eventos que apresentam a mesma função de determinadas questões que nos acometem intimamente. Por isso costumo chamar esses eventos de metáforas.

Uma metáfora tem gritado em meus ouvidos desde o dia de ontem: SAIA DESTE LUGAR!

Experimentei ontem, não pela primeira vez, dormência nos pés por conta da posição em que me mantive sentada. A dormência acontece quando uma parte do corpo é impedida de receber circulação sanguínea por mais tempo. Perde-se temporariamente a sensibilidade na região e também a mobilidade. Mexer a área dormente é muito incômodo, mas é o que possibilita o retorno da irrigação sanguínea e das funções normais dessa área.

Mas e quando sentimos que estamos dormentes na vida?

Permanecemos por muito tempo numa posição (trabalho, relacionamento, cidade, condição, etc) que no longo prazo nos impede de acessar o melhor da vida, o melhor de nós mesmos. Sangue. Oxigênio. Vivacidade. Criatividade. Produtividade. Por medo de não conseguirmos nos mexer imediatamente com muita habilidade ou por medo da dor, adiamos o movimento por sabe-se lá quanto tempo. Semanas. Meses. Anos.

Suportar a dor e o incômodo é uma habilidade importantíssima e eu já falei dela aqui, mas é igualmente importante saber sair da dor quando ela já não faz parte de um caminho que nos leva ao nosso propósito. A dor do movimento pós-dormência, essa sim, é uma dor com significado, pois está relacionada àquilo que nos faz felizes.

Daí, quando nos percebemos dormentes na vida, é fundamental nos perguntarmos sobre que movimento essa dormência está impedindo. A que condição/sentimento/objetivo o acesso está impedido por conta dessa dormência, desse entorpecimento? A resposta nos mostrará o que é valor para nós mesmos, e é por esse valor que devemos enfrentar a dor e a aparente imobilidade e agir.

E então, que parte da sua vida está dormente?

Obs: Não tenho os créditos da imagem. Se alguém souber, por favor me diga nos comentários e eu posto aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *