Procurar um psicólogo para fazer terapia é uma atitude que envolve a decisão de cuidar de si mesmo a partir de agora. Mas sabemos que tomadas de decisão nem sempre são simples, especialmente se tais decisões levarão a mudanças importantes. Mesmo que essas mudanças sejam para melhor, é comum passar por um período em que se pondera a respeito de agir ou não, quando se levantam várias objeções numa tentativa de se evitar decisões ruins.

É possível que você esteja vivendo este momento: olhou bem para sua vida, já compreendeu que precisa mudar e até entende que precisa de terapia, mas ainda não se decidiu por procurar ajuda profissional de um psicólogo agora. Neste post vou levantar 5 razões para não fazer terapia (é possível que você já tenha pensado nelas), e vou mostrar porque suas razões podem estar enganadas.

1 . Terapia é coisa de doido. Houve um tempo em que a psicoterapia estava muito atrelada aos tratamentos psiquiátricos de casos muito graves, em que a pessoa tinha sérios prejuízos em sua vida de maneira geral por conta do sofrimento mental. Isso fez com que a área ficasse estigmatizada e muitas pessoas não a buscassem, com medo de ficarem estigmatizadas (ou marcadas) também. Mas a verdade é que a população atendida por psicólogos é bastante ampla, e pessoas ditas normais, com problemas diversos e de diferentes graus de severidade, frequentam serviços de psicologia todos os dias. Terapia é para qualquer pessoa! :)

2 . Terapia é caro. Há diversos valores sendo praticados no mercado. Alguns valores, para algumas realidades, podem realmente ser considerados caros. E não é objetivo de terapeuta nenhum contribuir com o aumento das suas dívidas. Porém o que se deve levar em conta são as suas prioridades: neste momento da sua vida é uma prioridade sentir-se bem consigo mesma? O valor que você dispõe para a terapia deve ser considerado um investimento, visto que trará retornos na forma de bem estar, resolução de problemas, recursos para lidar com múltiplos aspectos da própria vida. Ou seja, são retornos de curto, médio e longo prazo. Dificilmente você encontrará retornos tão amplos na compra de objetos. Faça o teste: liste os últimos objetos que comprou e avalie o retorno obtido com cada um. Terapia não é gasto, é investimento. Pense nisso!

3 . Terapia é igual a desabafar com um amigo. Compartilhar suas aflições, sofrimentos e dúvidas com um amigo é muito bom e deveria fazer parte do nosso dia-a-dia! No entanto seu amigo não dispõe de dois recursos muito importantes para a promoção da mudança: imparcialidade e conhecimento técnico-científico sobre o comportamento humano e sua dinâmica. A imparcialidade do psicoterapeuta vai te ajudar no sentido de utilizar as sessões para ajudar na compreensão dos seus problemas (e não dos problemas do terapeuta). É diferente da relação de amizade, em que há trocas e partilhas com o objetivo de ajudar às duas (ou mais) pessoas envolvidas. Um psicólogo cresce pessoalmente com os encontros? Claro que sim, mas este não é o foco. Na psicoterapia o foco é você. Sobre o conhecimento técnico-científico, este foi construído sobre anos de estudos, supervisão, leitura e reflexão sobre o próprio trabalho, além do aprimoramento que a experiência clínica oferece. Assim, por mais sensato e inteligente que seu amigo for, ele não terá essa bagagem e/ou não estará nessa relação com um papel de terapeuta.

4 . O psicólogo vai me julgar. É natural que se pense isso quando todas as outras pessoas do mundo te julgam. Por que o psicólogo seria diferente, né? Primeiro: porque ele não está ali para te julgar, e sim para te ajudar. Além desse ponto básico, o psicólogo passa por um amplo aprendizado sobre o comportamento humano, o que o torna capaz de compreender o que você faz e os motivos por que faz, e assim acolher você sem julgamentos. Isso não significa que ele será completamente isento diante do que você fizer ou disser (psicólogos têm sentimentos também e são afetados pelos eventos do mundo), mas sim que ele saberá olhar para você com empatia e compaixão, para além daquilo que você ou outros possam chamar de erros.

5 . Meu problema não tem solução. Algumas situações são tão intensas que nos tornam cegos para as possibilidades. Não conseguimos enxergar para além delas, o que nos leva a pensar que não há solução e que a psicoterapia não teria utilidade alguma. Mas especialmente nessas situações é importante ter o suporte de alguém que não está imerso no problema, que consegue vê-lo a uma distância que permite considerar saídas ou maneiras menos sofridas de passar por tudo. Acredite: é exatamente porque você acha que não pode ser ajudado que você precisa de ajuda!

Se você ainda está em dúvida se precisa fazer terapia, compartilhe sua dúvida conosco num comentário. Vou responder e pode até virar um post.

Já se você, a partir do texto, pensou melhor e concluiu que é o momento de começar a terapia e quiser fazer uma primeira sessão comigo, entre em contato e vamos agendar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *